Necessidade x Desejo – por que eu acho que precisamos é olhar primeiro para nós mesmos antes de tudo!

Li esse post falando sobre menos da gente e mais dos outros e ocupei tanto o espaço de comentário do blog que achei que devia mesmo era fazer um post. E vamos lá!

Eu vejo muita gente falando sobre isso de sermos menos egoístas e olharmos mais para os outros, e eu não consigo concordar com isso. Calma! Eu explico!

Eu concordo que não podemos sair pelo mundo só suprindo nossos desejos sem nunca olhar para o outro, sem nos importarmos com as dores alheias. Só olhando para o vazio que nem conseguimos pensar muito dentro do peito. Masss… entre isso e entre focar nas nossas necessidades reais (e não nos nossos desejos) tem uma distância enorme!

Acho que é ai que está a principal diferença: Necessidade X Desejo. Necessidade é aquilo que é essencial para nosso bem estar, desejo é aquilo que a gente acha que precisa para suprir os vazios internos. Vamos ver um exemplo prático?

Fulano deseja que as outras pessoas reconheçam o quanto ele é bem sucedido e por isso sempre está tentando ganhar mais e mais dinheiro, para comprar mais e mais coisas. Um carro importado, roupas de marca, uma viagem cara… e assim vai, comprando coisa cara atrás de coisa cara só para ver as outras pessoas de olhos arregalados e pensando em como ele é bem sucedido. Mas de onde vem esse desejo de Fulano? Talvez da necessidade de ser amado… e em algum momento ele aprendeu que para ser amado precisa ter dinheiro. Que só assim amigos e mulheres se interessarão por ele. Mesmo assim, ele nunca se sente verdadeiramente amado, e por isso precisa comprar mais e mais coisas. Atrair mais amigos, mais mulheres… até encontrar alguém que preencha o vazio no peito. E bem provavelmente, o amor que está faltando é o dele para ele mesmo. Enquanto ele não se ver como alguém que mereça ser amado, com ou sem dinheiro, ninguém suprirá essa necessidade dele.

Exemplinho bobo, mas deu para pegar a ideia? Desejos escondem necessidades. As necessidade são reais, essenciais. Os desejos são vazios e não suprem realmente as necessidades. Ou suprem, por um breve período, mas assim que passa o efeito, bora repetir os padrões. Necessidade é da essência, desejo é do ego.

E bom, eu não vejo o ego como o vilão, não! O ego só é negativo, se a gente não consegue se enxergar de verdade (e ok, ok, se enxergar de verdade é mesmo muito difícil, dói e é exercício para vida toda!). Mas quando a gente consegue enxergar o ego e convida ele para tomar um chá com a gente, ficamos mais abertos e dispostos a ajudar verdadeiramente os outros. Porque só quando estamos presentes em nós mesmos, conscientes de nós é que podemos fazer isso pelos outros.

Eu sou mãe de um gurizinho lindo de 2a8m e uma das várias coisas incríveis que aprendi com a maternidade? Que a melhor forma de eu ser mãe para o meu filho, de acolhê-lo nas suas dores, incentivá-lo nas descobertas, nas tentativas é fazendo tudo isso primeiro comigo! Só consigo enxergar verdadeiramente a necessidade do meu filho, quando consigo enxergar as minhas necessidades (e veja bem, enxergar não é suprir, só reconhecer e aceitar mesmo!).

Meu filho entrou na fase que algumas pessoas chamam de Terrible Two há algum tempo, sabe aquela coisa que a maioria das pessoas chama de birra? Então, essa fase. Que antes de ser mãe eu via como birra também… ai me pari mãe, meu filho nasceu e tudo mudou. Descobri que a tal da birra é só uma incapacidade dele de se expressar. Tem aquele monte de sentimento dentro dele, tudo misturado, e ele não sabe como lidar com aquilo nem me contar o que tá sentindo. Por isso as crises de choro, por isso se joga no chão… ele não sabe o que fazer e tá pedindo a minha ajuda. Às vezes, como no exemplo do Fulano, ele não vê e não aceita suas necessidades (pode ser dormir, comer, descansar, atenção).

E o que isso tem a ver com essa história de eu X o mundo? Bom, para ajudá-lo a sair dessas crises eu precisava de algumas coisas: estar realmente presente para ele, identificar as necessidades dele. E quando uma criança chora querendo doce, brinquedo ou qualquer coisa, isso não significa que isso seja o motivo do choro! Aí que o bicho pega, porque ele me diz que quer X, mas a necessidade dele é Y (como o exemplo)! Ele chora pedindo doce quando eu estou perdida nos meus pensamento sem conseguir dar atenção real para ele. Chora pedindo o brinquedo impossível porque tá com muito sono e não sabe como me dizer isso…

Oxi, como é que eu reconheço as necessidades do meu filho, então? É simples (porém não fácil), me conecto com ele! Só um detalhezinho bobo, para fazer isso preciso primeiro me conectar comigo, com as minhas próprias necessidades. Preciso estar presente em mim, ligada a mim, para conseguir olhar para ele de verdade e compreender do que ele precisa.

Se eu não consigo me conectar comigo e olhar para mim de verdade, parece que tem um porta entre nós. E é incrível como o reconhecer as necessidades faz uma diferença tremenda.

Quando a gente entende que briga com o marido que não quer trocar fralda de cocô porque tá precisando é de um abraço,de acolhimento, contato físico, e não que a fralda da criança seja trocada parece que o horizonte se abre! Tem uma terapeuta argentina ótima que chama isso de “pedido deslocado”: a gente precisa mesmo de uma coisa, mas não consegue reconhecer, arranjamos outra desculpa para chorar.

Eu acho que só através desse exercício de encontrar as reais necessidades podemos ajudar verdadeiramente alguém. Primeiro fazendo com as nossas mesmos, depois tentando enxergar a dos outros…

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s