Meu corpo

(comentário que virou post – inspirada pelo blog Canto da Mulher que Encanta)

Depois da maternidade minha relação com o corpo mudou, antes eu só o via como casca. Mas ai descobri a eutonia, a técnica alexander, a dança e vi que meu corpo era muito mais que uma mera casca. Transitório sim, mas o vejo mais como um repositório, como um veículo de quem eu sou. Nossa essência está no corpo e irá para algum lugar depois dele, mas penso que as lembranças, a vida de agora estão todas no corpo. Nas células, nos músculos, nos ossos… é através dele que eu coloco isso no mundo. Seja escrevendo isso, me relacionando com as pessoas. Com a eutonia vi que meu corpo como é hoje foi moldado por mim, digo dos ossos mesmo, a postura…

Quando eu só o via como casca, não o amava, não me relacionava com ele… era só uma mera casca. Mas descobri que ele carrega tanta sabedoria dentro dele, em suas células estão o instinto, as lembranças daqueles que vieram antes de mim. Descobri que quando sigo o que meu corpo pede tudo flui melhor, difícil é saber o que é corpo, o que é mente, o que é ego… olhei para o meu corpo de verdade, para suas possibilidades, sabedoria, aprendizagens… comecei a conhecê-lo, comecei a enxergá-lo, ele sabe gerar, parir, nutrir. Sabe amar.
Meu corpo tem em si tudo que minha mente não me mostra. Meu corpo tem minha essência. Ele a protege, a cuida.
Amar ficou mais fácil depois de conhecê-lo. Aceitar também.

Sabe o mantra da maternidade: aceitar, confiar, entregar, agradecer. Faço isso com o corpo, ele responde, é lindo.

(texto difuso, né? tentando aceitar esse feminino não-prático, não-objetivo, não-linear. não é fácil não)

Anúncios